Dosimetria Termoluminescente

Dosimetria termoluminescente é o aproveitamento do fenômeno da radiotermoluminescência, que provêm de materiais termoluminescentes, como fluoreto de cálcio(CaF) e fluoreto de lítio(LiF), esses materiais são portadores de um estado de excitação quando submetidos à radiação ionizante, como partícula beta, alfa e gama. Assim, em alguns materiais, a radiação incidente transfere a energia aos elétrons, os quais passam do estado fundamental ( banda de valência) ao excitado, sendo que quando decaem para o estado fundamental novamente, eles emitem luz, fato denominado como fluorescência. Porém em outros materiais, como o LiF e o CaF, os elétrons decaem de um estado excitado ( banda de condução) para o estado metastável ( armadilhas) permanecendo nesse durante um tempo, assim quando ocorre o aquecimento desses materiais, os elétrons do estado metastável vão para o estado excitado( banda de condução), novamente, e depois decaem para o fundamental emitindo luz, a esse fato denomina-se fosforescência, sendo esse utilizado na dosimetria termoluminescente. A maior diferença entre fluorescência e fosforescência é o tempo entre a absorção da energia e a emissão do fóton, sendo que quando o intervalo de tempo é curto, o processo é chamado fluorescência e quando o tempo é longo, o processo chama-se fosforescência.  Dessa forma, o fenômeno da termoluminescência é a emissão de luz termicamente estimulada, sendo que se o material após ser irradiado for aquecido à 200C e 350C, sendo essa temperatura dependente do material utilizado, ele emite luz visível, que é proporcional a radiação recebida. Assim o material uma vez aquecido para emitir luz termoluminescente(TL) não mais a emitirá. No entanto, as radiações gama, raios-X e as partículas carregadas restauram a TL. Para materiais termoluminescentes é possível construir uma curva de emissão sabendo que a TL é convertida em corrente elétrica por uma válvula fotomultiplicadora, assim essa corrente fornece uma curva em função da temperatura. Essa curva é composta por vários picos, os quais são ocasionados por algum tipo de defeito na rede cristalina do material.Em vista disso, o aparelho de leitura da quantidade de radiação presente em um determinado dosímetro, sendo esse uma pastilha de CaF ou LiF, é constituído basicamente do circuito de aquecimento do dosímetro, uma válvula fotomultiplicadora destinada a transformar a mais fraca quantidade de luz emitida em corrente elétrica e, de um circuito de medida, indicando a dose recebida pelo dosímetro em uma escala graduada.

 (por Marcela Carrijo Setti)

principal