WASHINGTON (Reuters) - Os EUA instalaram sofisticados sensores de radiação durante os Jogos Olímpicos de Inverno e na final do campeonato de futebol americano, o Super Bowl, por temores de que a rede Al Qaeda, de Osama bin Laden, pudesse ter tido acesso a dispositivos nucleares, afirmou um senador norte-americano.

"Temos certeza realmente de que eles possuem esses dispositivos? Não, não temos. Usamos esses equipamentos de detecção de radioatividade em Salt Lake City (local de realização dos Jogos de Inverno)? Sim, usamos. E em outros lugares, como no Super Bowl? Sim, usamos", afirmou o republicano Larry Craig à TV CNN.

Os comentários feitos pelo senador no domingo à noite vêm a público depois de o jornal The Washington Post ter dito que o governo, havia algum tempo, instalava sensores de radiação em áreas próximas de Washington e em pontos ao longo da fronteira.

Os sensores, conhecidos como detetores de raios gama e de fluxo de nêutrons, vêm sendo usados desde novembro, escreveu o jornal, que atribuiu a informação a membros do governo norte-americano.

"Sabemos que nossos inimigos buscam meios de nos causar danos. O presidente (George W. Bush) concentra-se na prevenção desses ataques, independente de sua fonte, e não irei discutir detalhes sobre isso", afirmou Taylor Gross, porta-voz da Casa Branca (sede do governo).

Uma outra autoridade, que não quis ter sua identidade revelada, afirmou que laboratórios do Departamento de Energia do país desenvolviam novos sensores de radiação.

Bin Laden e a rede Al Qaeda são acusados pelos EUA de serem os responsáveis pelos ataques de 11 de setembro contra Nova York e Washington.

 

 

voltar